domingo, 14 de fevereiro de 2016

Sobre a distância


Quilômetros existem para provar que estar sem você dói.
E dói mais, e além, porque sei que tudo em nossa casa tem seu cheiro.
Esses objetos observam meus passos e com seus olhos inanimados zombam da minha solidão.
Já os meus fitam o céu pois não tem os seus.
Todo azul me invade posto que estou vazio, vazio de mim e cheio de ti.
Mesmo assim nada me renova.
Espero entre livros e lençóis a sua aparição graciosa:
Será lindo, forte.
Será a vida dentro da morte.
Impulso que bastará para fazer voltar a girar o moto-contínuo do meu peito.

Maceió,
14/fev/2016

Um comentário:

Marília Ambrósio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.